Libras: praticar a acessibilidade está nas suas mãos!

Abril é um mês de conscientização e homenagem à língua brasileira de sinais. 📅 Em 24 de abril, comemoramos o Dia Nacional de Libras, a língua utilizada na comunicação dos surdos no Brasil. Mas você conhece os direitos da pessoa surda? Sabe como praticar a acessibilidade no dia a dia? Neste post, vamos te mostrar o exemplo do Tinga (ele mesmo, o ex-jogador de futebol), que começou a dar show também nos gramados da acessibilidade!

Conforme o docente do Senac Uruguaiana, Vinícius de Abreu da Cruz, ter uma data para reflexão e consciência de todos é fundamental “para que as pessoas conheçam e entendam como funciona e para quem ela serve”. A data comemorativa também ajuda a reforçar os direitos da população surda que, de acordo com o Ministério da Educação, é de mais de 9 milhões de pessoas em todo o país. 🌎

língua brasileira de sinais

Mais quais são, afinal, os direitos da população surda no Brasil? 🤔 Basicamente, direito à prioridade no atendimento, educação, saúde e trabalho. “Os surdos são garantidos por lei a ter acessibilidade em todos os espaços”, enfatiza Vinícius.

O Instituto Nacional de Educação de Surdos – INES listou alguns decretos e leis que envolvem a pessoa surda e a surdez:

🟡 LEI Nº 10.436 – Lei de Libras, dispõe sobre a Língua Brasileira de Sinais;

🔵 LEI Nº 10.098 – Estabelece normas e critérios para a promoção da acessibilidade das pessoas portadoras de deficiência ou com mobilidade reduzida;

🟢 DECRETO Nº 5.626 – regulamenta a Lei de Libras.

Onde o profissional de Libras pode atuar? “Temos dois tipos de profissionais: o intérprete que trabalha com tradução e interpretação simultânea. 💼 E o professor de Libras, que trabalha com o ensino de Libras tanto para pessoas ouvintes ou pessoas surdas. O trabalho do tradutor e intérprete de Libras é reconhecido pela Lei nº 12.319, de 1º de setembro de 2010 e teve uma alteração pela Lei Nº 14.704, de 25 de outubro de 2023″, explica Vinícius. É ele, então, o profissional que auxilia a praticar a acessibilidade no dia a dia.

⚽️ O ex-jogador de futebol Paulo Cesar Tinga que atuou, entre outros times, na dupla Gre-Nal, está aposentado dos gramados desde 2015. Atualmente, é um palestrante inspirador que fala sobre temas relevantes como gestão, liderança e trabalho em equipe. Ele utiliza sua experiência no futebol para transmitir valiosas lições para o mundo corporativo.

E foram as palestras que ministra que o motivaram a se tornar aluno do curso de Libras no Senac Distrito Criativo, em Porto Alegre. “Eu resolvi procurar o Senac e estudar um novo idioma que é a Libras. Por vários fatores, pois desde que eu comecei a dar palestras vi que é importante trabalhar a comunicação com o público direto. Há nove anos, faço esse trabalho e inúmeras vezes tinha alguém da comunidade surda na plateia. Foi então que comecei a me interessar em aprender. Aprendi como dizer ‘Eu te amo!’, de início”, conta Tinga.

Este ano, Tinga procurou o Senac. 📚 “E mergulhei de cabeça para poder estudar e aí a coisa ficou muito mais séria e muito mais apaixonante, atraente. Porque eu comecei a entender. Entender a cultura, entender os desafios, o quanto é difícil para um surdo se comunicar até mesmo nas situações mais corriqueiras. Quando comecei a compreender um pouco mais da comunidade como um todo, se tornou algo muito pessoal, de poder de alguma forma contribuir. Conhecer a causa”, afirma.

língua brasileira de sinais
Tinga em uma de suas aulas, aprendendo e praticando!

Como praticar a inclusão no dia a dia? 🧐 Para o docente Vinícius, é tendo empatia pelas pessoas surdas. “Sem limitá-las ou se importar com a deficiência, auxiliando e entendendo sempre que possível”, disse.

Tinga concorda. Para ele é preciso conhecer as questões, as necessidades da comunidade surda. “Quanto mais a gente vai conhecendo as histórias, conhecendo o mundo diferente, acaba se interessando mais. Hoje, para mim, portanto, é importante aprender primeiro, adquirir conhecimento pessoal para poder me comunicar com mais um público. 🎯 E depois, de alguma forma, poder levar essa comunidade a todos os cantos que eu puder ir e me comunicar em Libras também. Só desejo agradecer o aprendizado que estou tendo no Senac. Está sendo muito bom viver essa experiência”, conclui Tinga.

O Senac-RS está com inscrições abertas para o curso de Libras em várias escolas no Estado. 🏫 Que tal aprender e começar a praticar a acessibilidade no dia a dia? Na capacitação com carga horária de 54 horas, o participante aprende os sinais e expressões faciais e corporais específicos da Língua Brasileira de Sinais. Para saber mais sobre o curso, acesse aqui! 😉

Gostou do nosso conteúdo? Compartilhe com seus amigos!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *