Dia do Surdo: a importância do trabalho do intérprete de Libras       

Setembro é um mês importante para a comunidade surda. Dos dias 20 a 26, comemora-se a Semana Internacional dos Surdos e no dia 26 de setembro, o Dia Nacional do Surdo. 🎉 Para marcar a data, preparamos este post sobre a atuação do profissional intérprete de Libras.

A data remonta à criação da primeira escola de surdos no Brasil, no Rio de Janeiro, em 1857 (atualmente – Instituto Nacional de Escola de Surdos – INES). A iniciativa foi do surdo francês Eduard Huet e teve como primeira denominação Colégio Nacional para Surdos-Mudos, de ambos os sexos.

“E para fechar o mês, o 30 de setembro festeja o Dia Internacional do Surdo e Dia internacional do profissional tradutor e intérprete. O principal objetivo dessas datas comemorativas, portanto, é propor a reflexão e o debate sobre os direitos e a luta pela inclusão das pessoas surdas na sociedade”, afirma a docente surda do curso de Libras do Senac Carazinho, Maria Cristina Ferrari. 💭  

Maria destaca que, no Brasil, a Lei nº 10.436/2.002 foi um marco importante para a comunidade surda, pois reconhece a Língua Brasileira de Sinais (Libras) como um meio legal de comunicação e expressão e determina a sua difusão e seu uso pelo poder público. ✒️ Os surdos atualmente constituem 3,2% da população no país, ou seja, aproximadamente 5,8 milhões de brasileiros.  

atuação intérprete de libras

A língua de sinais 

Na comunicação por Libras é utilizada a ‘datilologia’, ou seja, um sistema de representação simbólica das letras do alfabeto, soletradas com as mãos. 🤟 “Nessa língua, existem sinais para quase todas as palavras conhecidas. Para a execução dos sinais, usa-se o movimento das mãos, além das expressões facial e corporal, quando necessário”, explica Maria Cristina. 

A língua de sinais não é universal, pois é diferente de um país para outro – e muitas vezes, de uma cidade para outra, já que sofre variações de acordo com as peculiaridades regionais.

O mercado de trabalho 

Um dos atrativos da profissão é a ampla atuação. O tradutor-intérprete de Libras pode atuar em vários segmentos, assegurando a compreensão do público em reuniões, eventos, palestras, aulas e consultas médicas, por exemplo. Ainda no campo jurídico (em audiências e julgamentos), na área da saúde, no meio artístico (em eventos e produtos audiovisuais), entre outros. 📽

👨‍🎓 O ambiente educacional é um dos que mais apresenta oportunidades, já que é possível atuar para alunos do Ensino Fundamental até o Ensino Superior, traduzindo e interpretando aulas e conteúdos didáticos.  

Com os avanços conquistados na inclusão de surdos, esse profissional vem ganhando reconhecimento no mercado de trabalho. As oportunidades são diversas e a demanda por profissionais qualificados está em franco crescimento.

atuação intérprete de libras

As competências  

As competências do intérprete de Libras abrangem habilidades linguísticas essenciais para facilitar a comunicação entre pessoas surdas e ouvintes. Maria Cristina destaca algumas:

🖐 Proficiência em língua de sinais: o intérprete de Libras deve ter um domínio sólido da língua de sinais, incluindo sua gramática, vocabulário e estrutura linguística. Isso envolve não só a capacidade de compreender, mas também de expressar ideias complexas de forma clara e precisa;

🗣 Fluência em língua falada: além de conhecer a língua de sinais, o intérprete deve ser fluente na língua falada do ambiente em que está atuando. Isso permite que ele traduza com precisão o discurso oral para Libras e vice-versa;

🧠 Conhecimento cultural: é indispensável que o intérprete de Libras compreenda a cultura surda e suas nuances. Isso inclui os valores, normas, tradições e formas de comunicação específicas da comunidade;

🌎 Sensibilidade cultural: o profissional deve compreender as perspectivas e experiências únicas das pessoas surdas, respeitando suas identidades culturais e contribuindo para uma comunicação respeitosa;

🤗 Habilidades de comunicação não verbal: a língua de sinais é uma forma de comunicação visual e gestual. O intérprete deve ser capaz de transmitir não apenas as palavras, mas também as expressões faciais, gestos e variações emocionais;

⚡️ Agilidade comunicacional: a interpretação em tempo real exige pensamento rápido e habilidade de processamento. O intérprete deve ser capaz de acompanhar o discurso oral e traduzi-lo para libras de maneira ágil;

✔️ Ética profissional: a confidencialidade, o respeito às normas éticas e a responsabilidade são fundamentais. É preciso manter a privacidade das informações pessoais e profissionais compartilhadas durante a interpretação;

📚 Atualização contínua: dado que a língua de sinais e a cultura surda estão em constante evolução, o intérprete deve buscar aprimoramento constante por meio de cursos e treinamentos.

Capacitação 

Percebeu como é ampla a atuação do intérprete de Libras? Ficou interessado em ingressar na área? O Senac-RS oferta, dentre as opções de cursos de idiomas, cursos de Libras em várias escolas do Rio Grande do Sul. As formações são voltadas a jovens e adultos, a partir dos 14 anos. Nelas, os participantes aprendem os sinais, expressões faciais e corporais da Língua Brasileira de Sinais. Para mais informações sobre a formação acesse o site. 😉 

Gostou do nosso conteúdo? Compartilhe com seus amigos!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *