Cuidador de idoso: a profissão que mais cresce no Brasil

Tempo de leitura: 3 minutos

Segundo o IBGE, o Brasil tem mais de 30 milhões de idosos, sendo que a população nesta faixa etária só aumenta. Em 2060, a projeção é que um quarto da população brasileira (25,5%) deverá ter mais de 65 anos. Por isso, a profissão Cuidador de Idoso foi a que mais cresceu no Brasil nos últimos 10 anos de acordo o Ministério do Trabalho.

Mas como eu posso me tornar um profissional Cuidador de Idoso?

A ocupação de Cuidador de Idoso integra a Classificação Brasileira de Ocupações – CBO sob o código 5162, que define o cuidador como alguém que “cuida a partir dos objetivos estabelecidos por instituições especializadas ou responsáveis diretos, zelando pelo bem-estar, saúde, alimentação, higiene pessoal, educação, cultura, recreação e lazer da pessoa assistida”. A profissão exige sensibilidade por parte do profissional pois, conforme coloca a docente do curso do Senac Simone Wunsch, o cuidador de idoso consiste em uma profissão de qualidades especiais, expressas pelo forte traço de amor, de solidariedade e de doação.

Se o envelhecimento da população brasileira e seu aumento ainda não foram suficientes para provar que esse é um mercado que só tende a expandir, ainda há mais quatro motivos para fazer o curso de Cuidador de Idoso:

(1) As opções no mercado são amplas

Além de trabalhar em residências, esse profissional poderá atuar em hotéis, spas, clubes, instituições de longa permanência, clínicas e hospitais.

Com 160 horas, o curso permite uma inserção relativamente mais rápida no mercado de trabalho. Se você começar a formação em março com aulas de segunda a sexta (um turno), por exemplo, até o mês de junho do mesmo ano já estará com a formação concluída.

Ou seja, em três meses, é possível concluir a formação e ir atrás das inúmeras oportunidades no mercado de trabalho. 

(2) A qualificação é fundamental para se inserir no mercado

Afinal, se você estivesse contratando alguém para cuidar de um idoso da sua família (sendo que muitas vezes o profissional fica sozinho com o idoso), contrataria uma pessoa capacitada para a tarefa ou alguém sem o treinamento necessário? Lembre-se de que a certificação profissional é uma garantia para as famílias e para os locais que recebem idosos, de que o Cuidador estará apto para lidar com as necessidades que envolvem o público.

(3) O curso de Cuidador de Idoso alia teoria e prática

A professora do Senac Madalena Grehs comenta que a formação também trata de áreas afins como nutrição, enfermagem, fisioterapia e psicologia. “Com o cuidado, é claro, para não interferir em áreas específicas como o técnico em enfermagem, porém enfatizando a parte de cuidados e hábitos saudáveis como promover a interação social, tirar do isolamento de casa assim como o reconhecer e acompanhar/cuidar do idoso que apresenta determinada patologia como o Alzheimer, senilidade ou sequela de AVC”, explica. Além disso, durante o curso, o aluno cria uma rede de relacionamento com colegas e com o docente, o que amplia as possibilidades de indicação.

Se interessou pelo curso? Saiba mais clicando aqui.

Veja também:

Atividades físicas e mentais contribuem para o envelhecimento saudável

Gostou do nosso conteúdo? Compartilhe com seus amigos!