Gastronomia pelo mundo: conheça diferentes culinárias e viaje nos sabores

Tempo de leitura: 8 minutos

A gastronomia de cada lugar é diversa e diz muito sobre a região e a população local.  Cada país tem suas peculiaridades gastronômicas, com ingredientes típicos da região, temperos, receitas e técnicas de preparo específicas. Não é à toa que, para conhecer um lugar genuinamente, é essencial provar da sua culinária e, de preferência, tentar entender o porquê se come aquilo e como se prepara. E você, conhece as peculiaridades de cada lugar?

A gastronomia fala tanto sobre as características de cada país que, atualmente, existe um tipo de viagem chamado “turismo gastronômico”. A principal característica dessa modalidade é ir para um lugar para apreciar, antes de tudo, a comida daquela nação, vivenciando uma experiência completamente diferente.

Nos cursos de cozinheiro do Senac-RS são trabalhadas culinárias de diferentes países, com aulas específicas sobre cada localidade; usando ingredientes, temperos e técnicas de preparo típicos daquela região.

Para que você conheça a gastronomia de alguns países, os nossos chefs e docentes trouxeram um pouco sobre as características de seis culinárias espalhadas pelo mundo. Então, bora conhecer?

Culinária Francesa

Talvez a mais famosa culinária do mundo gastronômico e a que serviu de base para o desenvolvimento de outras, como a italiana. A gastronomia francesa possui um grande repertório de receitas, ingredientes e bases técnicas. Com seus excelentes queijos, vinhos, champagne, carnes e doces, não tem quem não aprecie a cozinha da França.

Apesar de se falar muito na culinária francesa como se fosse única e homogênea, esta não é a realidade. Cada região da França possui suas próprias características gastronômicas, com ingredientes específicos daquela localidade. Portanto, não se assuste se, ao viajar pelo país, você experimentar diferentes pratos, com técnicas e receitas diferentes, pois isso é totalmente normal.

Mesmo diversa, a Culinária Francesa possui algumas características comuns em todo o território: são comuns os cogumelos (Paris), os queijos, as ervas frescas, o alho, a manteiga, a batata, os molhos à base de vinho, os pães de fermentação natural, as massas folhadas, as sopas e os legumes frescos.

Com uma aparência exuberante e montados cuidadosamente, os pratos franceses são de fato impactantes. “O que me encanta na gastronomia francesa é o domínio perfeito das técnicas, o respeito pelas bases e pelos produtos, o domínio técnico dos cortes, de métodos de cocção e de preparo dos alimentos”, conta o chef e docente da Faculdade Senac Porto Alegre, Mamadou Sène.

Como um típico prato da França, podemos destacar a sopa de cebola. Esta receita por muito tempo foi considerada como sendo comida de pobre, pois as cebolas eram muito baratas e fáceis de se encontrar. Porém, com o tempo, foi ganhando destaque pelo seu incrível sabor e, hoje, é apreciada não só por toda a França, mas também pelo mundo.

Sopa de cebola

Culinária Italiana

A culinária italiana é uma das mais apreciadas no mundo todo, contendo uma série de apreciadores espalhados pelo planeta. Como ingredientes típicos das regiões do país sul europeu, pode-se destacar o queijo Parmigiano Reggiano da região da Emília Romana, o Gorgonzola da Região do Piemonte, o famoso presunto de parma da região de Parma e os tomates San Marzano bem frescos e saborosos que dão origem a molhos incríveis. E claro, o que nunca, jamais e em hipótese alguma falta na cozinha italiana, é a boa e velha pasta, mais conhecida por nós como massa.

Para o chef e docente dos cursos de gastronomia da Faculdade Senac, Leonardo Cruz, uma das características mais legais da cozinha italiana é o conceito de slow-food, em que o sabor único dos ingredientes são respeitados, valorizando sempre a qualidade dos produtos e o meio ambiente, além de pensar sempre no seu melhor aproveitamento dentro de uma receita.

O chef Leonardo diz que o que mais admira na cozinha italiana é a simplicidade, é transformar ingredientes do dia a dia em pratos cheios de sabor e técnica. Outra característica, é que os italianos apreciam muito o método tradicional de realizar os preparos. “Existe uma ênfase de não utilizar produtos industrializados e, assim, preservar uma cultura culinária que é passada de geração para geração”, esclarece Leonardo.

Como um prato legitimamente italiano, podemos destacar o espaguete Carbonara. Acompanhado e temperado com um molho feito de ovos, queijo pecorino, pimenta preta e pedaços de guanciale (uma espécie de bacon produzido a partir da bochecha do porco), este é um prato famoso no mundo todo e, inclusive, muito reproduzido no Brasil.

Culinária Espanhola

A culinária espanhola tem como principal característica o que se chama de cozinha do sol, porque estão presentes alimentos “vivos” como o tomate, pimentão, açafrão e vinhos. Portanto, é uma gastronomia rica em sabores, brilho e cores. “Outro traço marcante são os embutidos como linguiças, morcilha e os presuntos”, pondera o chef Mamadou.

O interessante é que andando pela Espanha é possível achar a culinária terra e mar, visto que existem as regiões litorâneas e as que são mais afastadas do oceano, tendo cada uma sua especificidade. Portanto, você pode experimentar receitas que têm o sabor de alimentos oriundos do solo e os que têm origem no oceano. “Por estar perto do famoso Mar Mediterrâneo, são utilizados muitos frutos do mar na gastronomia espanhola. Um prato bem típico do país é a Paella, conhecido no mundo inteiro”, explica o chef e docente Mamadou.

Paella

Culinária Portuguesa

Apesar de ter colonizado o Brasil, a culinária portuguesa é diferente da nossa, visto que está em uma localidade diferente, tem clima diferente e dispõem de insumos diferentes. “O interessante da culinária portuguesa é que ela foi a criadora de algumas técnicas de preparo que até hoje são usadas no mundo todo como, por exemplo, a fritura por imersão. Durante a vinda das embarcações portuguesas para as Américas, eles também trouxeram o frango para o nosso continente, que antes não se tinha aqui”, explica o chef e docente Leonardo Cruz. Portanto, apesar de diferentes, podemos notar que Portugal e Brasil possuem pontos em comum.

Por estar localizado perto do mar, a gastronomia portuguesa utiliza bastante peixe no seu dia a dia. “Não tem como falar de comida portuguesa sem lembrar do bacalhau. O bacalhau foi um dos primeiros processos de salga para que houvesse a conservação do produto. Se a gente pensar, depois esse processo foi utilizado para a criação do charque, muito feito aqui no Rio Grande do Sul”, pondera o chef Leonardo. Outros ingredientes utilizados e que ajudam a caracterizar a culinária portuguesa são: sardinha, camarão, dourado, robalo, carne de porco, frango, arroz, batata, alface, tomate, cebola, couve, etc.

Bastante consumido no Brasil, o bolinho de bacalhau é um prato típico da culinária portuguesa. Trata-se de uma massa frita que é crocante por fora e macia por dentro, geralmente servido como entrada ou aperitivo.

Culinária Asiática

A culinária asiática é rica e complexa em sabores. Com muitos países, diferentes regiões e culturas compondo a Ásia, é difícil assinalar um único tipo de gastronomia, mas podemos afirmar que se tem algo que não falta nos pratos asiáticos é tempero. As receitas geralmente contêm traços marcantes com características picantes, agridoces e ácidas, tornando-se uma verdadeira explosão de sabor na boca.

Na gastronomia asiática, geralmente é utilizado frango, carne, peixes e frutos do mar, além de, é claro, uma variedade de temperos e especiarias. Podemos citar como um prato típico dessa culinária o famoso lamen, bastante popular no Brasil também. Trata-se de um macarrão servido com carne de porco ou camarão, um caldo bem específico da receita, ovos e uma série de vegetais, temperos e especiarias tais como missô, shoyo, shimeji, etc.

lamen

Culinária Brasileira

Por último, mas não menos importante: a culinária brasileira. A gastronomia do nosso país é diversa. Se você percorrer as regiões do Brasil encontrará características específicas em cada uma delas, por termos biomas e climas tão distintos em cada parte do país, os ingredientes também são particulares daquela localidade.

Pelo fato do Brasil ter sido colonizado e por ter recebido grande fluxo migratório de países estrangeiros, a culinária brasileira teve muitas influências de outras gastronomias, tais como a indígena, africana, portuguesa, italiana, alemã, etc. Sendo que, no sul do país, predominou a culinária italiana, portuguesa e alemã e, no norte e nordeste, a culinária africana e indígena.

No entanto, se analisarmos, vamos notar que existem pontos em comum entre a culinária de cada região, como o arroz, feijão, o camarão na moranga, galinhada, pamonha, pão de queijo, moqueca e muito mais. Com uma terra extremamente fértil, o que não falta no Brasil são ingredientes frescos e temperos para lá de saborosos. Com um extenso território, aqui temos carne com origem tanto da terra, quanto do nosso lindo litoral. “O Brasil tem uma riqueza no fornecimento de alimentos. Aqui temos insumos de excelente qualidade que dão origem a belos pratos”, explica o chef Mamadou.

Como um prato bem brasileiro e que é bastante conhecido no exterior, podemos citar a feijoada. Trata-se de uma receita feita com feijão e cortes “menos” nobres de carne de boi e porco que é cozinhada com uma série de legumes e verduras. Depois, na hora de servir, acrescenta-se farinha e também pode ser acompanhada de arroz.

É hora de colocar a mão na massa

No mundo todo é possível encontrar diferentes sabores, ingredientes e receitas que proporcionam uma experiência gastronômica incrível. Por meio de culinárias de diversos países, você pode saborear inúmeras receitas sem sair de casa. É por isso que é preciso conhecer e estudar cada uma delas, para que assim, você possa começar a fazer os primeiros preparos.

Aprenda a cozinhar pratos típicos de diferentes lugares do mundo com o curso de cozinheiro.

Conheça os docentes que contribuíram com este post

Leonardo Cruz

Graduado em gastronomia pela PUCRS, iniciou há aproximadamente 6 anos a jornada na cozinha profissional. Trabalhando com as principais referências do estado, se consolidou como Sous Chef do chef proprietário Carlos Kristensen em seus empreendimentos. Teve seu início no Senac como instrutor das competições profissionais WorldSkills. Depois tornou-se professor das oficinas culinárias, tratando de temas diversos como comida de boteco, culinária brasileira e massas e molhos. Com essas experiências, se apaixonou pela docência e pela maneira que a culinária junto da educação podem ser um ponto chave para uma mudança positiva na vida das pessoas. Leonardo morou na Itália por 6 meses, onde trabalhou em restaurantes e pôde se aperfeiçoar ainda mais na gastronomia.

Mamadou Sène

É graduado em gastronomia e hotelaria pela École Hotelière de Dakar e ganhou uma bolsa de estudos para terminar seus estudos na França, onde trabalhou nas redes de hotéis Meridian e Club Mediterranée, passando por mais de 20 países, tais como França, Itália, Holanda, Espanha, Suíça, Taiti, etc. O chef chegou no Brasil em 1979 e depois de se apaixonar pelo país decidiu ficar aqui, hoje ele compartilha todo o seu conhecimento com os alunos da Faculdade Senac, contribuindo na formação de novos grandes chefs.

Gostou do nosso conteúdo? Compartilhe com seus amigos!